.

.

PORTUGAL AIR SUMMIT 2017

 

O Portugal Air Summit decorreu em Ponte de Sôr de 24 a 27 de Maio e contou este ano com a presença da APCTA. No nosso expositor podemos encontrar os painéis da Exposição Ontem & Hoje por forma a dar a conhecer aos visitantes a nossa profissão.

O evento realizado num espaço próprio, implantado no Aeródromo, englobou diversos acontecimentos, tais como conferências, apresentações, exposições, workshops e demonstrações, com um grande ênfase no futuro do setor aeronáutico. Na cimeira estiveram reunidas algumas das personalidades mais relevantes da indústria, infraestruturas e serviços.

O Air Summit, que foi uma organização conjunta da Câmara Municipal de Ponte de Sor e da empresa de promoção de eventos TheRace, tinha como objetivo primeiro “contribuir para o desenvolvimento da atividade empresarial no âmbito do transporte e trabalho aéreo, construção e manutenção de aeronaves, seus componentes e equipamentos, handling, fornecimento e prestação de serviços relacionados com a aviação, ensino e formação profissional em todas as áreas da aeronáutica, e assim, fomentar também divulgação, nacional e internacional, do sector aeronáutico português.”

Por tudo o descrito acima, a APCTA não poderia deixar de participar nesta cimeira, não só na vertente de exposição, como no acompanhamento das restantes atividades, assim como na parte mais social, promovendo o relacionamento institucional, estabelecendo novos contatos e fortalecendo antigos conhecimentos.

 

Nos 3 primeiros dias foram realizadas conferências sobre diversas temáticas, com especial destaque para:

Sessão de abertura:
Estratégia nacional de mobilidade.

Orador: Pedro Marques, Ministro do Planeamento e das Infraestruturas. A presença do ministro da tutela do setor, realça a importância do evento e o discurso A presença do ministro da tutela do setor, realça a importância do evento e o discurso incidiu particularmente sobre os assuntos do momento, com realce para o futuro do sistema aeroportuário de Lisboa.


Painel:
A solução para Lisboa: Que desafios e oportunidades?

Neste painel esteve presente o DSEQ Mário Neto, em representação da NAV, numa discussão que incidiu totalmente sobre a abertura, no futuro, do Aeroporto do Montijo ao tráfego Civil. Os restantes painéis ou apresentações passaram, na sua grande maioria, por fatores humanos ou RPAS (Remotely Piloted Aircraft System ou Drone), particularmente pela apresentação sobre o novo regulamento que estabelece as condições de voo aplicáveis à utilização do Espaço Aéreo pelos RPAS. Para quem não sabe, está instalada no Aeródromo Municipal de Ponte de Sor a maior fábrica de drones, em Portugal, de utilização maioritariamente profissional.

Sobre os painéis de discussão pode-se dizer que com a presença de oradores de renome, nacionais e internacionais, responsáveis por vários organismos públicos e empresas privadas, trouxeram, para a mesa de discussão os temas que, atualmente e no futuro próximo, serão os mais importantes para o desenvolvimento do sector aeronáutico, privilegiando a criação de medidas legislativas, bem como pesquisa e desenvolvimento de novas soluções tecnológicas e industriais

O último dia do Portugal Air Summit foi dedicado a um airshow com acrobacia aérea, e também a demonstrações de vários tipos de aeronaves não tripuladas.


.

A zona de exposição, onde esteve o stand da APCTA, com a exposição “Ontem e Hoje”, foi preenchida por entidades públicas e privadas ligadas ao empreendedorismo no sector aeronáutico, associativismo, serviços e ação social. Neste espaço, o objetivo foi o de influenciar um público que quer ou já está a empreender, capacitando e conectando empreendedores. Com esse propósito, decorreram atividades de divulgação, workshops, ações de captação para novos empresários com divulgação de incentivos e apoios, propostas de emprego com ações de recrutamento e muitas outras experiências.

O stand da APCTA foi visitado, na sua grande maioria, por alunos do Ensino Superior em busca do que é ser Controlador de Tráfego Aéreo e do que é preciso para poderem concorrer à carreira. Para além de “futuros controladores”, tivemos também visitas de pilotos, tanto da aviação ligeira como da comercial, aos quais tentámos responder e esclarecer as dúvidas que traziam, “Porque é que não posso fazer ….?”, “Porque é que me dão este procedimento …?”.

Em conclusão, podemos dizer, que a nossa participação atingiu os objetivos a que se propôs e contribuiu para que se reconheça cada vez mais o nome APCTA no setor aeronáutico. Os Controladores de Tráfego Aéreo já estão a deixar de ser “a malta das raquetes no aeroporto”.

 

Voltaremos no próximo Air Summit.